Awavena

awavanapp.jpg

Nova obra em homenagem às mulheres Yawanawá, pela força e beleza da abertura de caminhos e transformação. Agradeço especialmente à Hushahu Yawanawa por ser fonte de inspiração para as mulheres de seu povo, trazendo da espiritualidade os kene yawanawá (desenhos) e abrindo caminhos de empoderamento, incentivando as mulheres yawanawá e de outros povos ao redor do mundo

Técnica: Terras, acrílica e aquarela sobre tecido

80x100cm

Artista: Alice Haibara

2016

Acervo particular, São Paulo

 

Anúncios

Oficinas no Empório Manjericão – 1º e 2º encontros

Oficina Empório ManjericãoOs dois primeiros encontros da Oficina Cores da Mãe Terra no Empório Manjericão aconteceram em abril e foram muito ricos!

Trabalhamos a técnica de pintura em tecido feita com amido de milho. Cada participante pôde aprender a preparação da tinta de terra e desenvolver os fundamentos básicos desta técnica, fazendo experimentos de textura, máscaras e explorando diferentes combinações possíveis com as cores das terras.

A sensibilidade artística de cada participante fluiu bastante e como resultados tivemos pinturas muito criativas.

Em breve acontecerão novos encontros de pintura com terras e pigmentos naturais no Empório Manjericão, com temas específicos e aprofundamento desta técnica de pintura. Confiram algumas fotos:

Clique no link para conhecer mais sobre o Espaço Manjericão.

1º Encontro da Oficina “Cores da Mãe Terra” na Casa Jaya

No dia 08 de novembro tivemos o primeiro encontro da Oficina “Cores da Mãe Terra” na Casa Jaya, em que trabalhamos o tema: Introdução à pintura em tecido com amido de milho.

Conversamos sobre a percepção das cores da Terra e o despertar do nosso olhar para percebê-las. Também falamos a respeito de alguns cuidados para retirada da terra, como não desbarrancar áreas de vegetação e observar se há possibilidade de alguma contaminação no solo, por proximidade de indústrias entre outros fatores.

Alice contou um pouco sobre a sua história com as pinturas com terra, em que sua avó Helena da Terra, ensinou esta técnica, que utiliza o amido de milho para fixar as terras no tecido. Depois cada participante pintou alguns tecidos experimentando os movimentos e as possibilidades de textura por meio da raspagem com palitos de diferentes tipos e com as próprias mãos.

O próximo encontro será dia 22 de novembro e vamos explorar outras possibilidades possíveis nesta técnica.

Vejam algumas fotos:

Exposição Cores da Mãe Terra na Casa Jaya

Aconteceu ontem a abertura da exposição “Cores da Mãe Terra”, com pinturas de Helena da Terra e Alice Haibara. O grupo Amoràterra realizou uma oficina com dança e tambores, para conexão com a Terra, e fez a apresentação “Maré Cheia”, compartilhando a energia das cirandas e dos orixás, guiados pelas canções de Aura, no final foi feito um sarau aberto para que todos pudessem compartilhar sensações se expressando como quisessem!

A exposição “Cores da Mãe Terra” estará na Casa Jaya, Rua Capote Valente, 305, até o dia 28 de novembro. Em novembro também realizaremos, no mesmo espaço, algumas Oficinas de Pintura com Terra. Saiba mais clicando aqui.

Confiram algumas fotos da vernissage:

Amoráterra abre a exposição Cores da Mãe Terra na Casa Jaya!

Com muita alegria nós convidamos tod@s para a vernissage de abertura da exposição Cores da Mãe Terra, que traz pinturas de Helena da Terra e Alice Haibara, feitas com terras de diferentes coreságuaegoma de amido de milho.

Desde os tempos ancestrais a humanidade sente a Terra como uma divindade, uma energia viva. Deusas que trazem a força da fertilidade e da criatividade. Há um grande ventre, do qual tudo nasce e para onde tudo retorna. Com gratidão à Mãe Terra podemos criar com suas cores, despertar o olhar para suas belezas, nos curar com sua força e compartilhar respeito e cuidado pelo planeta, trazendo alternativas para a arte em um mundo mais sustentável

A vernissage de abertura conta com a presença de Amoràterra:

um encontro de colaboração celebrativa da co-criação que acontece de um nós sem margem, pois existir é sempre uma possibilidade lúdica.

imagina?

amor assim… colhido no pé?

plantar semente, nascer do gesto, brotar canção:

 

“no calor de um encontro, o riso se fez flor

para amorar a terra

família de mundo se encontrou.” (Thiago Cohen)

Nesse primeiro momento, canções da Aura têm sido nossas sementes-guia. Compartilhamos da energia das cirandas e dos orixás e nos encontramos em Maré Cheia para cantar, encenar e celebrar o nobre destino de um pescador e sua (nada longínqua) tribo.

Alice Haibara, amora-artista que abre a exposição, nos ajuda a contar esta historia, além de Ana Beatriz, André Amaral, Aura Maximiliano, Camila de Sá, Di Ganzá, Geinne Monteiro, Muriel Figueiredo, Natasha Grazia, Paulo Ribeiro, Rodolfo Horoiwa, Thiago Cohen, Vinícius Herculani e todos os presentes-amigos.

Ao final da Maré Cheia, abriremos uma roda de partilhas, um sarauzinho aberto para que todos possam trocar sensações e se expressar como acharem melhor: recitando um poema, cantando uma música, contando uma piada, plantando uma bananeira, compartilhando um silêncio…

É por onde partimos.

Abraços lambuzados de amoràterras coloridas.

Mais informações: http://www.casajaya.com.br

%d blogueiros gostam disto: